Governo de Rondônia
Sexta, 16 de abril de 2021

Programa Morada Nova já visitou cerca de duas mil famílias

22 de janeiro de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

Eram por volta das 8 horas da manhã, de terça-feira (21), quando uma das equipes do Programa Morada Nova, composta por três integrantes iniciou as visitas. O local determinado para a ação do grupo foi a região do Bairro Triângulo, conhecido como antigo reduto da criminalidade na capital. Casas simples localizadas na marginal da Estrada do Santo Antônio foram visitadas pelos técnicos da equipe.

A coordenadora do grupo, servidora da Seas,  Sandra Ângelo, explica os procedimentos. “Temos um dossiê contendo as informações dos cadastrados em mãos, e nós viemos in loco conferir os dados fornecidos”, esclarece. “O processo de visitas é muito importante para verificar as informações prestadas pelo candidato no ato da inscrição. É na visita domiciliar que vemos a situação socioeconômica e de moradia das famílias inscritas no Programa”, afirma Márcio Felix, secretário de Assistência Social de Rondônia.

O objetivo desse trabalho é constatar a veracidade das informações prestadas, garantindo desta forma, que o programa atenda a parcela da população que realmente precisa dessa assistência e que as casas cheguem a quem de fato necessita.

Cada equipe realiza em média de 10 a 15 visitas por dia e um contingente de 100 servidores estaduais e municipais de diversas secretarias trabalha incansavelmente de segunda a sexta-feira, nos períodos da manhã e tarde, para alcançar a marca até o dia 31 de janeiro. O ultimo balanço realizado na segunda-feira (20), contabilizou 1.891 famílias visitadas, fechando o dia de terça-feira perto das duas mil visitas.

Critérios

As famílias que participam do processo de visitas são as que atenderam de 4 a 6 critérios de seleção, os candidatos idosos e pessoas com deficiência. Os 6 critérios de seleção, de acordo com as regras nacionais e estaduais dos programas, são famílias residentes em área de risco ou insalubre ou que tenham sido desabrigadas; famílias com mulheres responsável pela unidade familiar; famílias que façam parte pessoas com deficiência; famílias que tenham a menor renda per capta; famílias que estejam em situação de vulnerabilidade e/ou risco social e famílias que residem na cidade de Porto Velho no mínimo 5 anos.

Fugir do aluguel

A primeira casa visitada pelos técnicos foi a de cadastro numero 9.935, em nome de Cláudia da Silva. Com uma renda familiar mensal de R$ 900, Claudia divide o pequeno cômodo com mais três pessoas, os pais e um filho. Com 52 anos, dona Maria da Conceição, mãe de Cláudia relatou um pouco do drama vivenciado pela família que sobrevive com o salário de seu marido, pois atualmente sua filha esta desempregada. “Faz tempo que moramos de aluguel, mas esta é uma área que não é permitida construção e em breve poderemos ser retirados. Já estamos nesta situação há algum período pedindo uma solução para nossa vida, foi quando vimos na televisão o anúncio do programa Morada Nova. Para nós, sermos contemplados com uma casa é algo que irá mudar totalmente nossas histórias, tanto pela questão da dignidade quanto pela questão financeira. Vivemos com pouco e um aluguel que não pagamos já influencia muito”, conta.

Renda baixa

Morando com cinco filhos e o marido em um quarto de 12 metros², a dona de casa Valdizia Pereira Soares, 33 anos, relata que não tem condições de comprar uma casa. “Meu esposo ganha R$ 1500, mas essa quantia é pouca para manter nossa família. A nossa maior preocupação hoje é garantir o sustento de nossos filhos até que eles tenham condições de trabalhar”.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Governo, Rondônia


Compartilhe