Governo de Rondônia
Domingo, 09 de maio de 2021

Reinserção Social

Projeto Fazenda Futuro é ampliado pelo governo

30 de maio de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

dsc_0827Capacitar a mão de obra apenada de Porto Velho é um dos principais objetivos do Projeto Fazenda Futuro, envolvendo as secretarias de Justiça, Agricultura, Meio Ambiente e a Emater. Na manhã desta sexta-feira (30), o secretário de Justiça, Paulo César Figueiredo juntamente como o juiz titular da Vara de Execuções Penais (VEP), Renato Bonifácio visitaram a Fazenda, que tem cerca de 53 hectares de terras da União e que estão sendo destinadas ao Estado para desenvolvimento do Projeto.

Estão trabalhando nas terras, inicialmente 40 apenados do semi-aberto, mas esse número será ampliado gradativamente, inclusive chegando aos presos do regime fechado, de acordo com a classificação por nível de periculosidade de cada um.

Para o secretário de Justiça, a orientação é de ampliação do Projeto através da  agilização nos trabalhos para que em pouco tempo a terra esteja preparada para receber a semeadura de vários cultivos, as novilhas, aves e escavação dos tanques para a piscicultura, além das agroindústrias para beneficiamento da produção.

Segundo ele, “já na próxima semana estaremos adotando medidas para ampliar a capacidade de mão de obra com os reeducandos do semi-aberto que estão na Colônia Agrícola Penal (CAPEP). Queremos aumentar a produção e buscar mais parceiros para nos ajudar na destinação dos produtos e todo o recurso arrecadado será reinvestido na Fazenda. Temos todo apoio do governador Confúcio Moura para isso”, comenta animado o Coronel Paulo César.

O Juiz Renato Bonifácio ficou bastante satisfeito com o que viu na Fazenda e comentou que os apenados que já progrediram para o regime semi-aberto e estão no Centro de Ressocialização Vale do Guaporé aguardando a instalação de tornozeleiras já devem vir trabalhar no projeto. “Quero ver mais presos trabalhando neste aqui neste projeto”, finalizou.

Diversificar a produção

Na Fazenda do Futuro estão sendo cultivados atualmente 50 mil pés de abacaxis, e até um pequeno percentual já foi colhido para não desperdiçar os frutos. Também há plantação de mandioca, feijão, banana e maracujá, mas a área será ampliada para novas culturas, como goiaba, cupuaçu, laranja, limão, rambutã.  A plantação de abacaxi será ampliada para pelo menos 1 milhão de pés, ainda este ano. Também serão cultivas hortaliças com várias espécies.dsc_0833

Os recursos para a implantação e desenvolvimento do projeto serão do Estado, alocados junto às secretarias envolvidas, através de convênios. O madeiramento para construção de pontes, cercas e currais virá da parceria com a Santo Antonio Energia. Equipamentos agrícolas também serão disponibilizados pelo Estado, alguns para início dos trabalhos, como aberturas de tanques para criação de peixes e preparação da terra.

Ressocialização

Hoje em Porto Velho existe uma população carcerária de mais de 3.500 apenados e um projeto desta magnitude vem ao encontro do resgate social dessa pessoas.

Segundo Lorival Milhomem, que hoje coordena os trabalhos da Sejus na Fazenda, a ideia é uma maior articulação entre os parceiros e que até apenados do regime fechado possam chegar a ter o benefício, segundo critérios de bom comportamento, de trabalhar no projeto para ter o benefício de remissão da pena e da reinserção social. “Estamos buscando junto a Procuradoria Geral do Estado (PGE) a legalidade para darmos vazão à venda da produção, que também deverá ser usada em outro projeto que é o da Cozinha Industrial, que quando implantado, atenderá a alimentação dos apenados da Capital”, explica.

Participaram também da visita a Promotora de Justiça, Andréia Nucini; o Defensor Público, Hans Lucas; o gerente de produção da Emater, Luiz Garcia; o técnico agrícola da Emater, Dilmar Reis; o gerente da Reinserção Social da Sejus, Alessandro Martins; os gerentes geral e regional do sistema penitenciário, Adeilso Silva e Maurício Silva ( o Brasília), além de técnicos da secretaria.

 


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Celene Gomes - Assessoria Sejus
Fotos: Celene Gomes - Assessoria Sejus
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Governo, Justiça, Piscicultura, Rondônia


Compartilhe