Governo de Rondônia
Sábado, 24 de agosto de 2019

150 ANOS

Vida de marechal Rondon é retratada em exposição ambientada na floresta

06 de maio de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Exposição está ambientada em uma floresta, no shopping

Exposição está ambientada em uma floresta, no shopping

O intermitente canto do grilo na pequena réplica de floresta traz para o ambiente do Shopping Porto Velho um pouco do ambiente encontrado e vivido pela Comissão Rondon nos sertões rondonienses do século passado. Na trilha, o visitante encontra explicações a respeito dos seringais e vê filmes [em preto e branco] revelando o cotidiano dos expedicionários, festejos e até funerais indígenas bororo. Verdadeiro museu.

Um dos quadros  fala de Alexander von Humboldt, o notável cientista alemão que se desdobrou em etnógrafo, antropólogo, geógrafo, mineralogista, botânico, vulcanólogo e humanista, o lançador das bases científicas da geografia, geologia, climatologia e oceanografia. Em suas andanças por milhares de quilômetros, mata, rios e morros adentro, Rondon incorporou um pouco de cada uma.

Quadros explicativos e  uma barraca com aparelhos de radiocomunicação lembram que o marechal é o patrono da Arma de Comunicações do Exército Brasileiro.  Não há quem passe por ali e desvie o olhar sem antes procurar saber o que há nessa barraca. Um soldado pintado de dourado, vestido com o uniforme original usado pela tropa de Rondon, explica pacientemente essa parte da Exposição 150 anos de Rondon. Ali estão algumas peças que se juntaram ao velho telégrafo [inventado por Samuel Morse, em 1952] na história do desbravamento do oeste brasileiro, em diferentes períodos.

Os organizadores reservaram para as paredes do shopping gigantescos painéis, caracterizados por impecáveis letreiros e assimilável impressão. Bastam dois minutos para o visitante ler e memorizar em cada painel o Rondon indigenista, cientista, militar, sobretudo humanista, o Marechal da Paz.

Você está novamente convidado a conhecer a exposição com a saga do marechal e de seus homens, cujo desempenho foi além dos 372 quilômetros de linhas telegráficas. Eles também proporcionaram a Rondônia o direito à integração nacional, a partir da construção da sua principal rodovia, a BR-364 [ex-BR-29].

A exposição foi solenemente inaugurada neste 5 de maio, Dia Nacional das Comunicações, data escolhida em homenagem ao nascimento de Rondon. Marque presença e descubra a história.

A HISTÓRIA

Lançamento Selo Correios 150anos Marechal Rondon 05-05-14

Professor Aleks Palitot, curador da exposição, ministrou pequena aula sobre Rondon

Comecei a me interessar por Rondon por livre e espontânea vontade. Eu quis conhecer a história do nosso estado e estou satisfeito com o empenho dos organizadores dessa exposição a respeito dos acontecimentos de nossa terra no século passado. Todos estão de parabéns”. Derick Pachá, 17 anos Estudante do 1º ano do Ensino Médio no Colégio Tiradentes, em Porto Velho, onde nasceu.

“Olha, a cada dia a gente aprende mais. Visitando uma exposição bem feita como esta, tenho motivo para me sentir realizada. Vim de Rondonópolis (MT) para um evento da Loja Maçônica Grande Oriente. Naquela cidade visitei o Museu de Rondon. Esse homem foi um visionário, enfrentou doenças, desafiou a morte, mas sua obra foi preservada e todos felizmente podem conhecê-la”. Lia Rlauber da Silva Professora de enfermagem aposentada na Universidade Federal de Santa Maria (RS), da cidade onde nasceu. Integrante da Escola de Adultos na Faculdade Metodista daquela cidade, “onde estudam alunos acima de 45 até 91 anos”.

“Aí está a história do nosso estado. Para ter futuro melhor, temos que conhecer o passado. Creio que os governantes precisam se sensibilizar para deixar essa história sempre presente. Eu acho importante a parceria com outros colégios para aqui conhecermos mais a respeito de Rondon. Para mim, ele foi um herói, tanto quando Dom Pedro I e outros”. Lindberg Oliveira, 15 Estudante do 2º ano do Colégio Objetivo, em Porto Velho, onde nasceu.

“Eu não sei quem ele é, mas agora vou saber” — disse Kaleb, diante de um painel. Quero aprender mais; voltarei para conhecer  inteira” – disse Vinícius. Vinícius dos Santos 13, e Kaleb dos Santos 9 – irmãos
Nascidos em Porto Velho, moram no Bairro Ayrton Senna [zona leste da capital] e estudam na Escola Estadual Duque de Caxias. Chegaram ao shopping com a mãe, Irisleia Santos. Vinícius cursa o sexto ano do Ensino Médio, Kaleb, a quarta série do Fundamental.

“Que quadros bonitos! (disse, diante daquele mostrando o Rio da Dúvida).  Estou vendo um por um, bem devagarinho. Ouvi dizer que Rondon também passou pelo Jaru bem antes de ser Jaru, e nem picada tinha”. Ilson Denardi, 48 e filhas Carol, 19, e Rebeca, sete meses Agricultor e piscicultor em Jaru. Nascido em Paranavaí (PR). Trouxe o bebê para consulta médica e visitou o shopping.

“Os jovens ainda não conhecem a saga de Rondon, precisam conhecer como ele chegou aqui. Rondon passou por Vilhena e deixou marcas. É importante conhecer bem a história. Eu comecei a ver os painéis e louvo a iniciativa: está tudo bem escrito e as fotos são maravilhosas”. Antonio Tavares Empresário em Vilhena. Veio de Ponta Grossa (PR) em 1979. A esposa, Maria Olívia, veio de Guarapuava (PR), em 1975. O casal tem sete filhos e oito netos.

Veja o especial sobre Rondon

Veja galeria de fotos da exposição


Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Esio Mendes e Bruno Corsino
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Brasil, Comunicação Interna, Cultura, Diárias, Distritos, Educação, Governo, Inclusão Social, Informativo, Lazer, Legislação, Lei da Informação, Marechal Rondon, Meio Ambiente, Municípios, Piscicultura, Rondônia, Serviço, Servidores, Sociedade, Solidariedade, Turismo


Compartilhe