Governo de Rondônia
Domingo, 07 de março de 2021

DOANDO VIDA

Recusa por parte da família impede maior número de procedimentos de captação de órgãos em Cacoal

16 de dezembro de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Em 2011, teve início em Rondônia a captação de órgãos para doação. Desde então, 37 captações foram feitas, entre rins e córneas. Em maio de 2014, mais um grande avanço. Foi realizado em Porto Velho o primeiro transplante de de rins no estado. Até agora, 24 transplantes foram feitos em Rondônia, sendo que desses, seis foram intervivos – quando o doador está vivo e saudável.

A maior parte das doações é feita por pacientes que têm o diagnóstico de morte encefálica (ME) comprovado. É nesse momento de dor que familiares precisam tomar a decisão de doar ou não. Em Cacoal, o serviço de captação de órgãos teve início em setembro de 2013. Dos 19 pacientes com ME comprovados desde então, houve 12 recusas por parte da família e apenas sete doações foram feitas.

Equipe liderada pelo médico cirurgião, Alber Pessoa de Figueiredo, realizou só neste mês a primeira captação de órgãos deste ano

Equipe liderada pelo médico cirurgião, Alber Pessoa de Figueiredo, realizou só neste mês a primeira captação de órgãos deste ano

Segundo a fisioterapeuta Leiri Bonet, membro da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos (CIHDOT) de Cacoal, questionados sobre o motivo pelo qual não aprovaram a doação de órgãos, os familiares alegam porque em vida o paciente não manifestou o desejo de ser doador. “Em mais da metade dos casos no Hospital Regional de Cacoal os familiares se recusam a doar os órgãos porque o paciente nunca havia falado nada sobre o assunto. Por isso as campanhas que incentivam o cidadão a manifestar o seu desejo de ser doador, para que se algo aconteça, a família já esteja mais preparada para tomar essa decisão”.

Nessa terça-feira (15), uma nova cirurgia de captação de órgãos foi feita no HRC, a primeira do ano. Foram captados os rins de um paciente que teve a morte encefálica comprovada. Para que esse diagnóstico fosse comprovado, foram feitos dois testes clínicos e um teste por imagem, o exame Dopler. A princípio, as córneas também seriam captadas, mas durante os exames foram constadas lesões, inviabilizando a captação.

Durante todo o ano de 2014, cinco captações foram realizadas, o que mostra que a queda do número de doações foi significativa em comparação a 2015.

No estado, além de Porto Velho e Cacoal, os municípios de Ji-Paraná e Vilhena também fazem a captação de órgãos, que são destinados, no primeiro momento, para pacientes que estão na lista de espera no estado. Não havendo compatilibidade, verifica-se a lista nacional, tendo prioridade os estados que estão na fila primeiro.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Giliane Perin
Fotos: Giliane Perin
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Governo, Rondônia, Saúde, Servidores, Sociedade, Solidariedade


Compartilhe