Governo de Rondônia
Terça, 15 de junho de 2021

CIDADANIA

Reeducação alimentar é objetivo do restaurante popular, na zona leste de Porto Velho

16 de junho de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

Serão servidas 1,5 mil refeições, diariamente

Serão servidas 1,5 mil refeições, diariamente

O restaurante popular “Prato Cheio”, na zona Leste de Porto Velho, fornecerá 1.500 refeições por dia às pessoas cadastradas no programa de segurança nutricional estadual. É o único restaurante popular do Estado, segundo o secretário-adjunto da Secretaria de Assistência Social de Rondônia (Seas), Márcio Félix. “O município de Porto Velho mantinha um, mas fechou”, disse.

A qualidade da alimentação é baseada nas normas e padrões nutricionais e a determinação do governador Confúcio Moura é de que o restaurante também funcione como centro de divulgação dos cuidados sobre educação alimentar. As refeições serão fornecidas a qualquer cidadão que procurar o restaurante e pegar a senha dentro da quota das 1.500 refeições diárias.

Cada refeição custará ao beneficiário cadastrado no programa o valor simbólico de R$ 1,00 com a contrapartida do Estado, que subsidiará o pagamento com outros R$ 5,34. Todo o serviço de preparação e fornecimento da alimentação, que é terceirizado, será supervisionado por uma equipe da Coordenadoria Nutricional da Secretaria de Assistência Social.

Márcio Félix afirmou quem o objetivo dos restaurantes populares é de que sejam instalados em áreas de vulnerabilidade social e de insegurança alimentar, como é o caso da Zona Leste de Porto Velho.

Funcionários em treinamento

Funcionários em treinamento

O governo pagará à empresa fornecedora da alimentação cerca de R$ 180 mil por mês, doou o terreno para construção do prédio, que fica próximo à 8ª Delegacia de Polícia Civil e teve a sua construção custeada pelo sub-crédito das compensações sociais repassados ao governo pela Santo Antônio Energia, concessionária da usina hidrelétrica em construção no rio Madeira.

A construção e a instalação dos equipamentos custaram cerca de R$ 1,8 milhão. A coordenadora de Nutrição da Seas, nutricionista Cleuza Firmino Medeiros, explicou que, além de garantir alimentação saudável à base de arroz, feijão, carnes e saladas a milhares de moradores da região Leste, o programa assegurará também o desenvolvimento de várias ações de reeducação alimentar, uma vez que cerca de 50% dos brasileiros estão acima do peso ideal.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Abdoral Cardoso
Fotos: Decom
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Rondônia, Sociedade


Compartilhe