Governo de Rondônia
Quarta, 24 de fevereiro de 2021

Reeducandas são capacitadas em curso de pedreiro de obras

04 de fevereiro de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

A turma é composta por 25 reeducandas. O curso tem carga horária de 200h e duração estimada de 50 dias. Depois das aulas teóricas, as reeducandas seguirão para a prática e o ambiente de trabalho será a própria unidade onde elas deverão construir uma sala e um banheiro, utilizando os conhecimentos adquiridos durante este e outros cursos. “Já tivemos o curso de pintura e agora este de pedreiro. É um aprendizado que não se perde, pois elas somam conhecimento e estão sempre praticando aqui na unidade”, afirmou a diretora da Pefem, Conceição Mourão.

As alunas são unânimes em acreditar que “o curso vai abrir novas oportunidades de emprego lá fora”. A reeducanda Mara Martins disse que está buscando capacitação e conhecimento. Para ela, as expectativas sobre o curso são as melhores possíveis. “Quero aprender. Seguir essa profissão que está sendo muito requisitada e com isso ajudar a minha família e dar um futuro melhor para os meus filhos”, comentou.

Atividades

A Pefem tem atualmente 112 custodiadas. De acordo com a direção, em média, 96 apenadas estão envolvidas em alguma atividade educacional, de capacitação ou laboral. Para Conceição, o ritmo de atividade estabelecido na unidade é fundamental para a ressocialização das apenadas. “A rotina da unidade é diferente da que se tem lá fora, e nós procuramos envolvê-las em atividades que cheguem o mais perto possível da realidade que elas encontrarão na volta para a sociedade e no mercado de trabalho”, explicou a diretora.

E a secretária adjunta da Sejus, Sirlene Bastos, completa dizendo que “oferecer trabalho, salário [algumas reeducandas são remuneradas] e responsabilidades geram novas rotinas e as rotinas são responsáveis pela mudança de atitude”. Bastos destaca que o governo está trabalhando para ampliar o escoamento da mão de obra apenada e que já tem colhido bons frutos, a exemplo das cinco reeducandas que fizeram o curso de informática na Pefem e hoje trabalham na sede da Sejus, em atividades administrativas.

“Este é só um exemplo, mas já temos muitos outros reeducandos trabalhando, inclusive alguns do regime fechado, como é o caso de duas destas meninas. Isso é uma vitória para nós da Sejus”, comemorou.

Reinserção social

Todo o trabalho de seleção, acompanhamento, disponibilização e implantação de novos cursos é coordenado pelo setor de reinserção social da Sejus. Raimunda Silva, ex-aluna do curso de costura e hoje instrutora, reconhece a importância do setor para o sucesso dos cursos. “O trabalho de motivação que a reinserção faz é muito importante. Eles estão sempre aqui trazendo oportunidades, incentivando, dizendo ‘você vai conseguir’, ‘você tem seu valor’, ‘você precisa concluir’ que a gente acaba acreditando mais em nós mesmas”, declarou a reeducanda.

Texto e foto: Taiana Maier


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Rondônia


Compartilhe