Governo de Rondônia
Quarta, 26 de junho de 2019

SAÚDE PÚBLICA

Relatório de janeiro revela equilíbrio entre idas e voltas de pacientes em tratamento fora de Rondônia

22 de fevereiro de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

Mapa  Paciente TFD (3)Rondônia equilibrou o número de viagens de pacientes que necessitaram de tratamento em hospitais de outros estados brasileiros. Para São José do Rio Preto (SP), por exemplo, viajaram 45 pessoas de Porto Velho e retornaram 56, enquanto Ji-Paraná enviou 19 e recebeu de volta 22.

O quantitativo das viagens aéreas foi fechado na última semana pela Estatística da Gerência de Tratamento Fora do Domicílio (TFD) da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau).

Por regionais de saúde (Cacoal, Ji-Paraná, Porto Velho e Vilhena), 378 pacientes embarcaram do Aeroporto Jorge Teixeira e 303 desembarcaram, totalizando 565 o número de acompanhantes.

“O cômputo por regionais demonstra essa situação: a de Porto Velho mandou 226, recebendo de volta 200; Ji-Paraná enviou 43 e recebeu 40; Cacoal recebeu só 24 dos 64 que transferiu; de Vilhena, 45 viajaram e 39 voltaram”, analisou o responsável pelo estudo, Maicon Maciel.

A região Sudeste (compreendendo Bauru, Belo Horizonte Campinas, Marília, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, São José do Rio Preto, São Paulo e Uberlândia) ainda é a mais procurada por pacientes de Rondônia: 246 foram para lá e 214 voltaram.

Para a região Centro-Oeste (Brasília, Cuiabá, Campo Grande e Goiânia): 73 idas e 45 retornos; região Sul (Cascavel, Curitiba, Chapecó, Joinville, Foz do Iguaçu, Florianópolis, Londrina, Maringá e Porto Alegre): 31 e 26 respectivamente. Nordeste (Fortaleza, Natal, Recife, Salvador, São Luís e Teresina): 23 e 14; e  Norte (Belém e Rio Branco); 5 e 4.

PACIENTES ONCOLÓGICOS

O maior tempo de permanência em hospitais de outras cidades e capitais brasileiras ainda é o de pacientes com câncer, cujo tratamento exige mais tempo. A maioria vinha sendo tratada em Barretos, mesorregião de Ribeirão Preto.

Em 2015, os laudos médicos de oncologia totalizaram 2.039, reduzindo em 1,11% em relação a 2015, e nessa área também caíram em 2,58% os gastos com passagens aéreas.

Segundo a gerente do TFD, Eliana Silvestrini de Andrade, a Sesau teve 5,91% a menos de gastos com a ajuda de custo para pacientes e acompanhantes. Ela credita esse índice aos investimentos feitos pelo governo estadual no setor.

Saiba mais:
Investimento do governo em hospitais economiza no tratamento de pacientes de câncer fora de Rondônia


Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Gráfico CTFD/Sesau
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Brasil, Comunicação Interna, Diárias, Distritos, Economia, Educação, Empresas, Governo, Inclusão Social, Informativo, Infraestrutura, Interno, Justiça, Legislação, Lei da Informação, Municípios, Previdência, Rondônia, Saúde, Serviço, Servidores, Sociedade, Solidariedade, Transporte


Compartilhe