Governo de Rondônia
Segunda, 22 de julho de 2019

GOVERNO

Rondônia busca equilíbrio financeiro e descarta reajuste salarial para não gerar impacto negativo na economia

18 de março de 2019 | Governo do Estado de Rondônia

Governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, afirma que momento não é de reajuste salarial e sim de buscar equilíbrio financeiro

 

O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, recebeu na manhã desta segunda-feira (18) a visita do presidente da Federação Sindical Nacional de Servidores Penitenciários (Fenaspen), Fernando Ferreira de Anunciação, e do deputado estadual Anderson Pereira para tratar da situação da categoria que está em greve, considerada ilegal pelo Poder Judiciário. O Estado pede que os agentes retornem ao trabalho e já tomou medidas para manter a segurança nos presídios ao acionar policiais militares do setor administrativo.

Marcos Rocha chamou atenção para a situação financeira do país onde são escassos os recursos, inclusive com estados endividados. Pelo menos sete estados já decretaram situação de calamidade financeira: Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Roraima, Mato Grosso, Minas Gerais e Goiás. Ele explicou que Rondônia também não se encontra em situação tão favorável. Há cerca de R$ 400 milhões em dívida e o momento é de buscar equilíbrio financeiro para que o estado consiga recuperar capacidade de investimento.

O governador destacou que diante desse cenário, qualquer reajuste dado aos servidores pode travar a economia rondoniense, impactado negativamente inclusive setores essenciais como saúde, educação e segurança pública. Além disso, o Estado ainda enfrenta o retorno da dívida do Beron com pagamento mensal de R$ 17 milhões, tem que executar o pagamento de precatórios, resolver a situação da endividada Caerd e da falta de recurso no Iperon.

‘‘Tudo tem seu momento e, agora, o Estado não consegue atender a categoria [dos agentes penitenciários], mas estamos trabalhando para que a economia funcione. Sou um governador livre de amarras, e acredito que cortando a corrupção, vai sobrar dinheiro’’, avalia ele que também destacou que tem buscado enxugar a máquina pública e apoiar áreas estratégicas para o crescimento da economia.

O deputado estadual Anderson Pereira, que já foi representante do Sindicato de Agentes Penitenciários do Estado, e o presidente da Fenaspen também concordaram que o momento é de organização da máquina pública.

Para o chefe da Casa Civil, Pedro Pimentel, a categoria dos agentes penitenciários representada pelo sindicato perdeu em janeiro uma grande oportunidade ao rejeitar a proposta do governo que previa um incremento em torno de R$ 400 no vencimento dos servidores. O governador explicou que atual situação do Executivo não permite uma nova proposta.

Leia mais.

Durante entrevista Governo do Estado pede que agentes penitenciários retornem ao trabalho para que haja novo diálogo com a classe

Justiça determina suspensão da greve dos agentes penitenciários

 Policiais militares da administração reforçam policiamento nos presídios e esquema de segurança pública não é prejudicado


Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Nilson Santos
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Brasil, Economia, Governo, Municípios, Rondônia, Servidores


Compartilhe