Governo de Rondônia
Terça, 18 de maio de 2021

SAÚDE PÚBLICA

Em dois anos, oferta de leitos de UTI em Rondônia cresceu 34%

17 de março de 2015 | Governo do Estado de Rondônia

HB ganhou nova ala com leitos de UTI

HB ganhou nova ala com leitos de UTI

Rondônia é o estado que lidera, proporcionalmente, em todo o país, a abertura e oferta de novos leitos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os dados são do Ministério da Saúde (MS) e correspondem ao período dos últimos quatro anos. No total, 121 novos leitos de UTI foram entregues à população.

De acordo com dados do setor de estatísticas da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), o setor registra um crescimento de 34% na oferta de novos leitos, entre 2012 e janeiro deste ano. Atualmente, a rede estadual de saúde possui 382 leitos, uma marca nunca registrada.

O mesmo levantamento aponta que do total de leitos em UTI disponíveis em Rondônia, 67,51% estão na região de Porto Velho, cidade com maior população. Em seguida, aparece a região de Ariquemes – que abriga nove cidades – com 11,81%, seguida de Cacoal, com 11,39%, Vilhena 6,75% e Ji-Paraná com 2,53%.

Segundo estimativa da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), o Hospital Regional de Cacoal – responsável pelo tratamento de alta complexidade no município e região – deve ganhar, ainda no primeiro semestre deste ano, dez novos leitos de UTI para o setor de pediatria.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, os números comprovam o tratamento diferenciado que o governo do estado dado ao setor de saúde. Para Pimentel, após o governo do coronel Jorge Teixeira, apenas o atual avançou em setores críticos como a Saúde.

Williames Pimentel, secretário estadual de Saúde

Williames Pimentel, secretário estadual de Saúde

Ele cita um estudo realizado e publicado ano passado, pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) que aponta Rondônia em segundo lugar em oferta de leitos, através do Sistema Único de Saúde (SUS), com índice de 1,83 – para cada 800 habitantes -, empatado com o Rio Grande do Sul e atrás apenas do estado do Piauí.

Na análise de Pimentel, os números comprovam, também, que o planejamento do governo, por intermédio da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), está correto, pois o Estado saiu da condição de “lanterna” em qualidade de Saúde para ocupar posições importantes no ranking nacional.

Dados do estudo realizado e publicado pelo CFM apontam, também, Rondônia como o 12º estado em investimento em Saúde no Brasil. Conforme o levantamento feito por este Conselho, Rondônia está à frente de Santa Catarina, Rio Grande do Norte, Goiás, Mato Grosso, Bahia, Piauí, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Ceará, Paraná, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pará, Maranhão e Alagoas.

Os resultados têm como base os seguintes critérios: investimentos por ano, investimentos por mês, investimentos ao dia, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), oferta de leitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), considerando um leito para cada 800 habitantes, de acordo com metodologia de avaliação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

QUALIFICAÇÃO

Mais de 500 servidores receberam treinamento em atendimento em UTI

Mais de 500 servidores receberam treinamento em atendimento em UTI

O governo de Rondônia, por intermédio da Sesau, encerrou 2014 com mais de 500 profissionais, que atuam na assistência a pacientes graves, capacitados com manejo adequado, seguindo normas técnicas internacionais. No total, R$ 1.266.000,00 foram investidos, com recursos próprios, para a qualificação profissional.

Segundo Williames Pimentel, a iniciativa do governo tem como meta a busca pela melhoria dos serviços oferecidos à população através do Sistema Único de Saúde (SUS) e, consequentemente, a valorização dos servidores.

A ação resultou em impactos positivos na assistência aos pacientes politraumatizados, acidentes vasculares, doenças cardíacas e em unidade de terapia intensiva (UTI), reduzindo a mortalidade por estas causas.

Para a execução dos cursos, a Sesau buscou parceria com instituições de renome nacional, como o Instituto Nacional do Coração (Incor), Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), que aplicaram metodologia teórica e pratica buscando proporcionar revisão sistemática dos principais cuidados aplicados no suporte básico de vida, atendimento no suporte avançado no trauma, na cardiologia, na pediatria e cuidados intensivos para pacientes em UTI.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social, Capacitação, Educação, Governo, Inclusão Social, Rondônia, Saúde


Compartilhe