Governo de Rondônia
Segunda, 17 de maio de 2021

FORTIFICAÇÕES

Rondônia participa de seminário em Recife e busca transformar o Forte Príncipe da Beira patrimônio mundial

07 de abril de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

 

Seminário segue até esta sexta-feira em Recife

Seminário segue até esta sexta-feira em Recife com reflexões sobre as políticas nacionais para os bens protegidos no País

Desde terça-feira (4) até esta sexta-feira (7), a diretora do Museu da Memória Rondoniense, Ednair Rodrigues, participa do Seminário Internacional Fortificações Brasileiras, em Recife (PE), realizado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O objetivo é refletir as políticas nacionais que estão sendo elaboradas em face ao conjunto de bens protegidos no País e dar diretrizes para implantação de um programa de gestão das fortificações.

“No caso do Forte Príncipe da Beira, que é gerenciado pelo Exército brasileiro, o Estado de Rondônia entraria como articulador das ações para implementação e criação de políticas públicas que visam melhorias no uso, divulgação e acesso do forte”, disse Ednair Rodrigues, diretora do Museu da Memória Rondoniense, ligado à Superintendência Estadual da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel).

Com seus 240 anos, o Forte Príncipe da Beira, localizado no município de Costa Marques, a 735 quilômetros de Porto Velho, foi construído a mando do rei de Portugal, dom João V (1706-1750), para consolidar o domínio do território ao mesmo tempo em que a exploração do ouro acontecia na região amazônia. Em 1937 foi declarado Patrimônio Histórico Nacional.

Segundo Rodnei Paes, titular da Sejucel, a partir do momento em que o estado se coloca como intermediador nota-se a importância que o Forte Príncipe tem na candidatura, assim como na formação cultural do estado. “Agora temos que olhar para o Forte com um olhar profundo e no alcance do mundo”, revelou.

Os 19 monumentos que compõem o conjunto de fortificações que estão na lista indicativa a Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) são a Fortaleza de São José, em Macapá (AP); Forte dos Reis Magos, em Natal (RN); Forte Coimbra, em Corumbá (MS); Forte Príncipe da Beira, em Costa Marques (RO); Forte de Santa Catarina, em Cabedelo (PB); Forte São João Batista do Brum e Forte São Tiago das Cinco Pontas, ambos em Recife (PE); Forte de Santo Antônio da Barra, Forte São Diogo, Forte São Marcelo, Forte de Santa Maria e Forte de Nossa Senhora de Mont Serrat, os cinco localizados em Salvador (BA); Fortaleza de Santa Cruz da Barra, Forte de Santa Cruz, ambos em Niterói (RJ); Fortaleza de São João, no Rio de Janeiro (RJ); Fortes de Santo Amaro da Barra Grande e São João, ambos em Guarujá (SP); Fortaleza de Santa Cruz de Anhantomirim e Forte de Santo Antônio de Ratones, respectivamente em Governador Celso Ramos e Florianópolis (SC).

Leia mais:

Aos 240 anos, Forte Príncipe da Beira resiste ao tempo e segue imponente no Vale do Guaporé, em Rondônia

Instalado no Vale do Guaporé, em Costa Marques, Forte Príncipe da Beira inspira uma viagem ao passado


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Maximus Vargas
Fotos: Arquivo da Sejucel
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Cultura, Evento, Governo, Rondônia, Turismo


Compartilhe