Governo de Rondônia
Quinta, 25 de fevereiro de 2021

PRODUÇÃO AGRÍCOLA

Safra de milho de 663,7 mil toneladas revela alta produtividade na região Sul de Rondônia

21 de julho de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

Diferentemente de todos os estados da federação, que tiveram uma queda acentuada na produção do milho por falta de chuva, Rondônia mantém o equilíbrio, e vai colher na primeira e na segunda safras deste ano (2015/2016) 663,7 mil toneladas, revelando uma produtividade de 4,1%, tendo em vista que a área plantada foi menor que da safra passada.

Alta produtividade do milho é motivo de satisfação das autoridades rondonienses

A alta produtividade do milho em Rondônia compensa a diminuição da área plantada de 165,5 para 161,7 mil hectares nesta safra

 

Isso não que dizer que houve um desempenho espetacular na produção, mesmo porque, assim como os demais estados, Rondônia sofreu também com a estiagem. Segundo dados do 10º Levantamento (julho) da Safra Brasileira de Grãos, realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o crédito do desempenho rondoniense deve ser todo da região Sul do estado, especificamente do município de Vilhena, que teve uma experiência climática regular em todas as fases da produção.

O relatório da Conab destaca que o desempenho rondoniense poderia ter sido ainda melhor se não fosse o atraso no plantio que deveria ter ocorrido em janeiro na mesma área de colheita da soja – o milho é plantado no final da colheita e na mesma área da soja – tudo por causa da falta regular de chuvas, que diferentemente de anos anteriores só começaram a cair em outubro de 2015, quando a soja começou a ser semeada, da mesma forma, tardiamente.

A primeira safra 2015/2016 registrou uma produção de 102,4 mil toneladas, e a expectativa para a segunda safra, já em curso com a mobilização de equipamentos, é de que Rondônia colha mais 561,3 mil toneladas de milho numa mesma área onde se cultiva também o milheto, o girassol e o sorgo, lavouras que como as demais sentiram a falta de chuvas principalmente nas fases de formação dos grãos, segundo atesta a Conab.

O secretário de Estado da Agricultura, Evandro Padovani, falou das dificuldades que essas lavouras passaram com a estiagem em todas as fases de cultivo, mas comemorou o resultado, ressaltando o empenho pessoal do governador Confúcio Moura em apoiar e incentivar todos os grandes e pequenos projetos do setor produtivo, incluindo aos investimentos na produção de calcário e sua distribuição gratuita nas pequenas propriedades, através dos municípios.

Embora se produza milho de Norte a Sul do estado, os municípios de Vilhena, Corumbiara e Cerejeiras, pela ordem, são os campeões em produção e produtividade, revelando a aptidão nata da região Sul rondoniense, não muito diferente de outros municípios fora desta zona que investem também grandes somas na produção de milho e outros grãos, pois possuem grandes confinamentos de gado e cultivam esses grãos para produção de ração para alimentar esses animais. A venda do excedente da produção gera renda e possibilita novos investimentos nas propriedades.

US$ 6,4 MILHÕES EM EXPORTAÇÃO

Embora tenha diminuído sua área plantada de 165,5 para 161,7 mil hectares nesta safra, e mantendo uma produção igual à safra anterior, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rondônia faturou no primeiro semestre deste ano US$ 6,4 milhões com a exportação de 39,4 mil toneladas de milho, um desempenho 207% maior do que o resultado apurado no mesmo período de 2015, quando a produção foi de pouco mais de 10,7 milhões de toneladas, e a exportação ficou em US$ 2,1 milhões, segundo indica o relatório da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento.

O governador Confúcio Moura revelou-se satisfeito com a produtividade do milho rondoniense, destacando a possibilidade do estado ter um desempenho ainda melhor, pois além de Vilhena, Corumbiara e Cerejeiras, resultado desta safra e a própria pauta de exportação de milho de Rondônia deve muito também ao desempenho das lavouras de milho de Chupinguaia, Pimenteiras, Cabixi, Alto Alegre dos Parecis, Alta Floresta, Candeias do Jamari e Porto Velho, entre outros municípios, que no para Confúcio precisam de mais incentivos.

Leia mais:
Produção de soja em Rondônia aumenta e desperta o interesse de empresários internacionais


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Cleuber R Pereira
Fotos: Ésio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Economia, Governo, Rondônia


Compartilhe