Governo de Rondônia
Segunda, 17 de maio de 2021

PISCICULTURA

Sanidade garante sustentabilidade do pescado de Rondônia

15 de março de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

Os piscicultores de Rondônia colocaram o Estado em primeiro lugar entre os maiores produtores de peixes nativos criados em cativeiro no Brasil, com uma produção anual de 87 mil toneladas de pescado. Este destaque obriga produtores e governo a se preocuparem com a sustentabilidade dessa produção, o que motivou a criação do Portal do Peixe e uma série de ações para garantir a sanidade do pescado.

DSC_0133

Campanha de sanidade envolveu todos os órgãos de controle, fomento e assistência técnica.

Para lançar o Portal do Peixe foram realizadas três edições do Seminário Peixe Saudável, que teve participação de pesquisadores e técnicos vindos do Ministério da Agricultura, Embrapa Pesca e Aquicultura e Embrapa Ocidental, Universidade Federal do Amazonas, e Universidade Federal de Rondônia, que ministraram palestras para técnicos da extensão rural, engenheiros de pesca, zootecnistas, veterinários, piscicultores e estudantes interessados na piscicultura.

O seminário foi realizado nos municípios de Ariquemes, Ji-Paraná e Pimenta Bueno. O objetivo foi marcar o início da implantação programa de sanidade aquícola de Rondônia, disse a engenheira de pesca Maria Mirtes da Emater-RO, uma das responsáveis pelo programa.

Estes primeiros eventos deram inicio ao trabalho que continua na forma de campanha de sanidade, envolvendo todos os órgãos de controle, fomento e assistência técnica, disse a engenheira. A sustentabilidade da atividade depende da adesão dos produtores às boas práticas de manejo na produção (BPM).

Embora Rondônia não apresente nenhuma doença de notificação obrigatória em peixes, é fundamental a execução de estratégias para prevenção e controle dos parasitos, como o acantocéfalos, verme que parasita os peixes redondos como o Tambaqui, principal espécie cultivada no Estado. Os técnicos alertam que estes parasitos são organismos de ocorrência natural no meio de cultivo, mas que podem prejudicar a cultura se o produtor não respeitar as boas práticas de manejo.

Durante os próximos meses de 2017 os piscicultores rondonienses terão à sua disposição diversos eventos de capacitação promovidos pelo Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura e Superintendência de Desenvolvimento de Rondônia, por meio de ações de assistência técnica executadas pela Emater-RO, com o fim de intensificar o uso das boas práticas de manejo.

Com a sanidade garantida e a certeza de que a produção do pescado de Rondônia respeita as normas ambientais, não haverão barreiras comerciais que dificultem a exportação da nossa produção aquícola. Então a meta de produção, estabelecida pelo governador Confúcio, de 250 mil toneladas para 2018, já será pequena para atender o mercado brasileiro e mundial que se abrirá aos nossos produtores de tambaqui, pirarucu e híbridos de pintado, espécies rondonienses com maior potencial de exportação.

Uma observação interessante verificada no relatório de atividades de 2016 da Emater-RO, é o fato de que dos dez municípios maiores produtores de peixes redondos do País, cinco são do estado de Rondônia. O quadro a seguir demonstra o ranking dos municípios maiores produtores de peixes no Estado incluídos entre os 10 maiores do País, em 2015. Ranking Municípios Piscicul-tores.
TABELA-RANKING-22-PISCICULTURA


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Enoque Gonçalves de Oliveira
Fotos: Irene Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Piscicultura, Rondônia


Compartilhe