Governo de Rondônia
Segunda, 17 de maio de 2021

EDUCAÇÃO

Secretários municipais de educação, prefeitos e técnicos participam de seminário sobre o PAR

07 de maio de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

Secretários municipais de educação, prefeitos e técnicos receberam orientações sobre o uso correto do dos sistemas do Plano de Ações Articuladas (PAR) durante o primeiro Seminário Estadual do PAR, realizado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), na terça-feira (6), em Porto Velho. O encontro trouxe representantes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para ministrar palestras sobre a importância do programa na educação básica e esclarecer dúvidas sobre os sistemas.

Paulo Bicalho, secretário de educação de Ouro Preto D’Oeste, afirma que o PAR é fundamental para execução de ações educacionais. “É o melhor instrumento atual para lidar com estas questões”, comenta. Entretanto, Bicalho diz que ainda há algumas dificuldades dos técnicos com a utilização do Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle (Simec). “São dificuldades nacionais, creio eu. E o seminário é importante para sanar as dúvidas que temos”, explica.

Para o prefeito de Espigão do Oeste, Célio Renato, este tipo de evento ajuda a melhorar não só a prestação de conta sobre as ações, como garante a qualidade da educação. “A educação tem que vir em primeiro lugar, e esse seminário mostra o cuidado que se tem em relação a algo tão importante quando o PAR”, pondera.

I Seminário Estadual -PAR.-6-5-Quintela 030A maior dificuldade analisada pela consultora do FNDE e palestrante no evento, Simone Xavier, é a frequente rotatividade das equipes técnicas que usam os sistemas do plano nos municípios. “Essa grande rotatividade faz com que não tem alguém realmente entendedor e capacitado para utilizar os sistemas de forma correta”, conta. Pela segunda vez em Rondônia, Simone acredita que a parceria entre Estado e município é necessária para garantir que as execuções sejam mais rápidas.

Pedro Martins, especialista em financiamento do FNDE, comenta que o sistema Obras 2.0 foi implantado devido ao aumento expressivo no número de obras na área da educação. “Foi fundamental a implantação deste sistema. Antes era mais fácil de controlar porque eram poucas [obras]. Agora, sem um programa de monitoramento, fica impossível”, esclarece. O especialista chama atenção para o preenchimento certo no sistema para que não haja dificuldade em repasse dos recursos. “Somente com a atualização dentro do sistema que o processo de repasse flua normalmente”, declara.

O secretário de Estado da Educação, Emerson Castro, conta que a ideia do seminário surgiu durante uma visita ao FNDE, em Brasília, por sugestão de representantes do órgão. “Por saberem de dificuldades que os técnicos tinham, eles sugeriram uma ação que juntasse Estado e município para esclarecer as dúvidas”, relata. Castro agradeceu a ajuda do governo federal e diz que a cooperação entre as esferas pode garantir um futuro bom para educação. “É um sonho que junto com vocês e o esforço da gente, pode se tornar realidade”, conclui.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Halex Frederic - Assessoria Seduc
Fotos: Quintela
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Educação


Compartilhe