Governo de Rondônia
Quinta, 14 de dezembro de 2017

Através da música reeducando leva a mensagem que droga e crime não compensam

Governo do Estado de Rondônia
Ezequiel realiza trabalhos nas unidades penitenciárias e escolas da Capital

Ezequiel realiza trabalhos nas unidades penitenciárias e escolas da Capital

Levar a mensagem que a droga e o crime não compensam. Este é o objetivo do reeducando do sistema penitenciário de Rondônia, Ezequiel Silva. Atualmente ele é cantor de rap gospel e trabalha na prevenção contra as drogas nas escolas de Porto Velho.

Ezequiel conta que diante de tudo que viveu em cárcere serviu para nunca mais querer voltar. “Foi difícil conseguir sair daquela vida, venho de uma família sem estrutura, pais separados, aos 12 anos já estava no mundo do crime e das drogas”, revela. Após presenciar rebeliões e condições precárias na prisão, tomou a decisão de mudar e foi nos projetos da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) que visam a ressocialização onde encontrou o apoio necessário para vencer.

Participou do programa Pintando a Liberdade, começou costurando bolas na cela, depois passou a trabalhar na fábrica. E as oportunidades passaram a surgir.

Conheceu o rap gospel e começou a compor. Encontrou na espiritualidade e nas rimas improvisadas a chance de mudança. Lançou um CD e agora está lançando um DVD. Suas músicas falam da vida dentro da prisão, de fé e perseverança.
Atualmente, Ezequiel está na condicional, e mesmo assim visita semanalmente os presídios da Capital para desenvolver atividades religiosas, levando seu exemplo para que outros também sigam. Ele conta que hoje se sente um vencedor, mas com muitas batalhas ainda pela frente. “Minha cabeça é outra, tenho sonhos e expectativas para minha nova vida”, afirma.

O cantor falou sobre as dificuldades que enfrentou quando decidiu se dar uma nova chance. “Não foi fácil. Mas vejo que hoje os reeducandos têm mais chances que eu tive. O sistema está mudando, os projetos de ressocialização da Sejus têm pessoas que estão abraçando nossa causa de verdade. E é disso que precisamos para termos uma nova chance de fato”. Ele afirma já estar recuperado, porém admite que ainda precisa de ajuda para continuar a caminhada como multiplicador dentro do sistema penitenciário.

Para a secretária de Justiça, Mírian Spreáfico, exemplos como Ezequiel mostram que a reinserção social e a recuperação da dignidade dos apenados são possíveis. “Eles precisam de oportunidades, educação, profissionalização, mais humanização dentro do sistema penitenciário”, destaca. A nova gestão da Sejus vem trabalhando na estruturação e criação de novos projetos e programas que visam a real reinserção das pessoas que hoje se encontram privadas de liberdade dentro do sistema prisional.

Ezequiel, que acaba de se tornar pai, fala da importância de se ter uma família bem estruturada. “Sou pai e pretendo oferecer à minha família tudo que eu não tive. E levo esta mensagem aos estudantes em minhas palestras”, revela o reeducando que participa de trabalhos de prevenção contra drogas nas escolas da Capital.

O adolescente Paulo César de Lima Rodrigues Junior conheceu o trabalho de Ezequiel através do CD. “Ouvi pela primeira vez e percebi que a mensagem é forte e significativa”, afirma. Paulo César, que conhece todas as letras das músicas do cantor, conta que não chegou a experimentar algum tipo de droga, mas que se continuasse no caminho onde se encontrava, certamente isso iria acontecer.  “Através das músicas do Ezequiel compreendi que o mundo das drogas não vale a pena e que as consequências para a vida são terríveis”, finaliza.

Ezequiel se emociona quando encontra alguém como o adolescente. “O fato de saber que consegui ajudar, que minha mensagem vem atingindo o objetivo, me sinto realizado e cada vez mais forte para seguir minha caminhada. Sinal que com boa vontade e perseverança a reinserção social é possível”, conclui.


Compartilhe


Twitter
Facebook
Youtube