Governo de Rondônia
Terça, 18 de maio de 2021

ESTIAGEM

Sem novos desabrigados Defesa Civil reforça trabalho nos alojamentos

16 de abril de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

12 - cestas básicas

O movimento de recuo do rio Madeira, cuja cota esteve ontem na média de 18,76 metros, manteve a Defesa Civil Estadual concentrada no atendimento às famílias que estão em alojamentos improvisados e no Abrigo Único, em Porto Velho. A distribuição de água potável, cestas básicas e kits de limpeza é feita por militares do Exército, Corpo de Bombeiros e Base Aérea com maior intensidade às famílias dos distritos localizados na região do Baixo Madeira, como São Carlos, Nazaré e Calama.

Além de Porto Velho, o município mais impactado pela enchente recorde na Bacia do Madeira, continuam sofrendo os efeitos da inundação os municípios de Nova Mamoré, Guajará Mirim, Costa Marques, Ji-Paraná, Cacoal, Pimenta Bueno, Jaru e Candeias.

12 - atuação da defesa civil

Em Porto Velho, 3.758 famílias precisaram deixar suas moradias por conta da enchente. Destas, 1.646 foram alojadas pela Defesa Civil.

Em todo o Estado, o segundo município com maior número de famílias afetadas é Guajará Mirim, com 903 impactadas, seguido de Pimenta Bueno, com 880.

Monitoramento

A Defesa Civil Estadual também trabalha com informações da CPRM – Serviço Geológico do Brasil, que prevê que o nível do rio Madeira, em Porto Velho, permanecerá, provavelmente, em recessão com pequena variação.

A CPRM acompanha a evolução da cheia do Rio Madeira por meio de permanente medição de vazão com equipamentos de tecnologia avançada, que incluem medidores acústicos.

 


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Nonato Cruz
Fotos: Ésio Mendes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Assistência Social


Compartilhe