Governo de Rondônia
Sábado, 05 de dezembro de 2020

HISTÓRIA DE RONDÔNIA

Servidor pesquisa fotos inéditas da Estrada de Ferro Madeira Mamoré e produz livro com relíquias da história de Rondônia

19 de novembro de 2020 | Governo do Estado de Rondônia

Fotos inéditas da E.F.M.M e de Porto Velho compõem o livro do servidor, editadas, as imagens que eram em preto e branco ganharam cores


Considerada um ícone ferroviário Mundial, a Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM) teve as suas obras executadas entre os anos de 1907 e 1912. Estendia-se por 366 quilômetros na Amazônia, ligando Porto Velho a Guajará-Mirim, alguns registros e documentos do que ocorreu nesta época é possível ser encontrado no Arquivo Nacional, outros internacionalmente em bibliotecas. E muito ainda pode-se explorar quanto aos arquivos e fatos históricos diante de tanta riqueza cultural, como observa o servidor Anderson Leno Fernandes, designer na Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri).

Nas horas vagas, o “hobby” foi levado a sério e, durante cinco anos, Anderson Leno conseguiu reunir uma série de fotos inéditas dando início a uma jornada de suma importância.

“O amor pela ferrovia existe desde criança na verdade, mas eu comecei a participar de grupos de saudosismo a mais ou menos cinco anos, e foi aí que percebi que nesses grupos as pessoas publicavam fotos diferentes de Porto Velho, que eu não conhecia além de fotos também da Estrada de Ferro, aí me deu um estalo na cabeça: Por que não pesquisar na internet em acervos, Brasil a fora sobre a ferrovia?”, comenta Leno.

“E comecei a fazer uma busca bem maciça em páginas do país inteiro, em bibliotecas a nível nacional e internacional, e pra minha surpresa comecei a encontrar imagens da Estrada de Ferro do início da construção, e na verdade são do mesmo fotógrafo oficial da época, e sabe-se que ele fez mais de dois mil registros, só que muitos se perderam aqui no País. Os trabalhadores da ferrovia quando voltaram, como o próprio datilógrafo que foi embora, levaram o acervo de fotos que foram distribuídas entre os familiares lá mesmo em Nova York, nos Estados Unidos da América, então isso acabou se espalhando pra lá, tanto que no acervo da biblioteca pública de Nova York há fotos daqui expostas”, conta o servidor.

“Na biblioteca da USP (Universidade de São Paulo), tem 189 negativos de Dana B. Merril, que até então são conhecidos, e era o que se imaginava o que se tinha da Estrada de Ferro e até mesmo de Porto Velho, daí pra frente ninguém tinha mais nada, mas conforme eu fui encontrando, fui vendo que tinha sim ,um nicho muito grande de fotos da Estrada de Ferro e Porto Velho, na época em que ainda fazia parte do amazonas e do Mato Grosso”, completa.

O amor pela coleção foi além e para que não perdesse todo o conteúdo pesquisado, onde hoje, segundo ele, somam-se mais de três mil registros, Leno resolveu documentar, criando um “boneco” (exemplar) de um dos seu maiores sonhos, a criação da primeira edição de um livro altamente ilustrativo.

“A ideia do livro surgiu no início de 2019, porque eu vejo uma necessidade muito grande de um livro que retrata a construção da Estrada de Ferro nos períodos em que ela funcionava. Não tem esse tipo de livro, nós temos historiadores diversos, inclusive tenho contato com a maioria, mas ninguém tem livro publicado assim, já vi com acervos pessoais, como exemplo a professora Yedda Pinheiro Borzacov, que tem livros bons, mas são de acervos pessoais, e algumas fotos que são do acervo do nosso Museu Rondoniense. Eu como uma pessoa muito curiosa, desde criança, com a Estrada de Ferro pensei: Como a história funcionava?, então fui buscar isso e pensei: Por que não um livro? Imagens eu já tenho. Então, agora vou pesquisar conteúdos, e fui encontrando”, explicou o autor.

Secretário de Agricultura, Padovani, apoia que livro do servidor deva estar nas escolas para fortalecer a cultura e história do Estado

“Só tenho a parabenizar o nosso servidor, Anderson Leno Fernandes por relatar o início de Rondônia, da colonização, eu vejo que a gente precisa cuidar da história do Estado e fazer isso chegar às escolas de Rondônia, e passar as dificuldades dos nossos antecessores, que mesmo diante do enfrentaram, trouxeram o desenvolvimento para a região Norte do País”, disse o secretario de Estado da Agricultura, Evandro Padovani, conferindo o livro do servidor.

SOBRE O LIVRO

O livro “Estrada de Ferro Madeira-Mamoré e Porto Velho: Retratos da História”, do pesquisador Anderson Leno Fernandes, é composto por inúmeras fotos inéditas da construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, no período entre os anos 1930 aos anos 1970, segundo o autor que também é designer da Seagri, disse que o hobby que foi levado a sério é fruto de uma pesquisa de quase cinco anos.

Mesmo diante de riquíssimas imagens do acervo da Madeira-Mamoré que se encontra no Museu da Universidade de São Paulo, detentora dos 189 negativos oficiais de Dana B. Merril; e do acervo da Biblioteca de Nova York, o autor conta que não utilizou nenhuma das imagens por já serem reconhecidas, o foco foram as imagens desconhecidas e novas descobertas.

“São 144 páginas, e cerca de 300 fotos, parte das fotos foram colorizadas, um trabalho em parceria com um designer amigo meu, que ficou perfeito, muito real, e  textos com diagramação bem dinâmicas e elegantes”, descreve o autor do livro e finaliza: “Um povo sem história, é um povo sem identidade”.


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Marina Espíndola
Fotos: Emanuelle Pontes
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Cultura, Educação, Lazer, Rondônia, Sociedade, Turismo


Compartilhe