Governo de Rondônia
Quinta, 27 de fevereiro de 2020

DEDICAÇÃO

Sinézio Gomes da Silva diz que ‘faz de tudo um pouco’ há 30 anos na Seduc

14 de abril de 2014 | Governo do Estado de Rondônia

Sinézio afirma que gosta do que faz

Sinézio afirma que gosta do que faz

O rosto suado de Sinézio Gomes da Silva, de 49 anos, mostra que o trabalho diário é intenso. Há 30 anos como auxiliar de serviços gerais da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), o servidor diz que sempre ‘fez de tudo um pouco’ e não cansa porque gosta do que faz. Entre as diversas funções que exerce há décadas, Sinézio destaca que a inspeção escolar é a que mais gosta. “A criançada toda me conhece”, afirma, sorrindo.

Nascido em Porto Velho, o servidor lembra que estudou até o Ensino Fundamental. “Naquela época a gente mais ajudava com trabalho do que estudava”, conta. Mesmo com a interrupção na escola, Sinézio continuou a trabalhar para obter seu sustento e anos mais tarde, em 1984, acabou se encontrando novamente com a educação, porém de outra forma.

Gomes iniciou sua carreira na Seduc no Instituto Estadual de Educação Carmela Dutra, em Porto Velho, como auxiliar de serviços gerais, ‘trocando lâmpadas, ajeitando alguma coisa que tivesse quebrada e ajudando em outros serviços da escola’. De lá, Sinézio passou pelo almoxarifado da Secretaria e pelas escolas estaduais Barão de Solimões, Carlos Weber e Estudo e Trabalho, onde trabalha há 13 anos.

Mesmo passando por várias gestões, o servidor acredita que seu trabalho foi o motivo de ter se mantido na escola por tanto tempo. A rotina de Sinézio começa 5h45, quando sai de casa e vai a pé para o local de trabalho. Na escola, o servidor conta que começa ligando a bomba d’água, os aparelhos de ar-condicionado das salas de aula e adiantando o preparo do café dos funcionários. “Quando os alunos chegam, as salas tão geladinhas e eles adoram isso”, afirma.

“Todos eles me conhecem. Quando tem a necessidade de dar um ‘carão’ em alguém, eles me respeitam”

Na hora do intervalo, Gomes inicia sua função de inspetor de pátio. Junto com outra funcionária, o servidor mantém a ordem dos estudantes e diz que quando pede algo para os jovens, sempre é respeitado. “Todos eles me conhecem. Quando tem a necessidade de dar um ‘carão’ em alguém, eles me respeitam”, comenta. O respeito e a cordialidade com Sinézio é mantido também com demais funcionários da Estudo e Trabalho, que o considera um exemplo de trabalhador.

O trabalho encerra por volta das 18h, mas Sinézio enfatiza que o serviço, mesmo sendo extenso, não é cansativo. “Quando você gosta daquilo do que faz, você nem sente o cansaço. Sei que faço bastante coisa, mas não reclamo de cansaço. Para mim é normal”, explica.

Todas as sextas-feiras, Gomes sustenta uma superstição: utiliza pelo menos duas peças de roupas do avesso. Segundo o servidor, isso faz espantar ‘mau-olhado’. Com uma disposição invejável aos 49 anos, a crença de Sinézio parece estar funcionando muito bem. “Pretendo continuar trabalhando até chegar a hora de me aposentar”, assegura.


Fonte
Texto: Halex Frederic - Assessoria Seduc
Fotos: Quintela
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Educação, Governo, Rondônia


Compartilhe