Governo de Rondônia
Quarta, 03 de março de 2021

HISTÓRIA

Solenidade celebra revitalização de Jazigos históricos do Cemitério dos Inocentes, em Porto Velho

06 de junho de 2016 | Governo do Estado de Rondônia

A Superintendência Estadual de Turismo (Setur) promove nesta segunda-feira (6), a partir das 15h30, solenidade alusiva à reconstrução dos jazigos do desbravador major Emmanuel Silvestre do Amarante e do poeta Vespasiano Ramos, no Cemitério dos Inocentes, em Porto Velho.

A solenidade contará com a presença de convidados e autoridades civis sendo conduzida pela Academia Rondoniense de Letras (ARL) e a 17ª Brigada de Infantaria de Selva, com a celebração do pároco da Catedral Metropolitana, que fará uma oração em homenagem aos mortos. Em seguida será apresentado um resumo da biografia dos ícones históricos e, por fim, será dado um toque de silêncio militar por um integrante da banda de música da 17ª Brigada.

Visando preservar o patrimônio histórico de Rondônia, o governo do estado recuperou e reformou os jazigos dos dois ícones da história rondoniense.

Segundo o superintendente de Turismo, Júlio Olivar, os jazigos estavam completamente abandonados, cobertos por mato e sem nenhuma identificação, o que não condiz com o momento de resgate da história de Rondônia. “Os cemitérios são museus a céu aberto, e contam a história de muitos personagens que já se foram e que contribuíram de alguma maneira para a história de Rondônia”, enfatizou.

Olivar lembrou que o escritor Vespasiano Ramos foi um poeta maranhense, que veio morar em Porto Velho e foi considerado um precursor das letras em Rondônia; poeta admirado em seu tempo por notáveis “literatos nacionais”, com apenas um livro, “Coisa Alguma”, que foi elogiado pela crítica especializada e por membros da Academia Brasileira de Letras. Vespasiano Ramos faleceu aos 32 anos, em 1916.

Já o carioca major Amarante era genro do patrono de Rondônia, marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, e morreu em 1929, aos 49 anos. “A ele o estado deve muito, pois foi um desbravador dedicado, contribuindo para as instalações de linhas telegráficas, comandou os estudos cartográficos e etnográficos de toda a região, algo notável para o Brasil e para o mundo no século passado” informou Júlio Olivar.

 


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Taciana Guzman
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Cultura, Rondônia, Turismo


Compartilhe