Governo de Rondônia
Quinta, 04 de março de 2021

AVANÇO

Técnica inovadora para tratamento de varizes pelo SUS no Hospital de Base busca reduzir filas para cirurgias em Rondônia

29 de março de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

AVANÇO - Procedimentos são realizados no HB pelo médico José Rosa

Procedimentos são realizados no HB pelo cirurgião-vascular José Rosa

Uma técnica mais eficiente no tratamento de varizes está sendo realizada há pelo menos dois anos em pacientes no Hospital de Base Ary Pinheiro (HB), em Porto Velho, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). A técnica inovadora que pode substituir a cirurgia e reduzir a longa espera nas filas para este tipo de tratamento é a escleroterapia, onde se utiliza uma injeção com medicamento em forma de espuma que seca os vasos com má circulação do sangue.

Ao penetrar na veia, a espuma causa uma reação inflamatória dentro do vaso, causando um espasmo imediato e, a curto e médio prazo, o fechamento dessa veia. “Essa veia não faz falta, na verdade ela estava atrapalhando a circulação venosa do paciente”, conforme explica o médico cirurgião vascular José Rosa, responsável pela área no HB.

Segundo dados Ministério da Saúde (MS), médicos que foram treinados pela Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro estão usando esta técnica no tratamento de pacientes. A iniciativa tem como objetivo diminuir as filas de espera pela cirurgia de varizes, procedimentos mais complexos que requerem uma retaguarda de UTI.

As varizes, segundo o médico cirurgião-vascular José Rosa, causam muitas dores, cansaço e até úlceras em uma fase mais crítica. Elas podem aparecer em qualquer lugar do corpo. Primeiro aparecem manchas e depois vêm as úlceras. Pelo menos 0,5% da população desenvolve o estágio mais crítico que leva às ulcerações.

José Vasquez, 26 anos, relata que sofre com varizes desde os 15. Morador de Porto Velho, ele é um dos pacientes atendidos pela técnica de espuma. “Eu sofri muito. Sentia muitas dores, havia dias em que era quase impossível trabalhar. Minhas pernas pareciam pesadas devido aos enormes caroços que as varizes causaram. Agora já estou no final do tratamento, apenas drenando. É uma bênção este tratamento”, afirmou.

Médico mostra resultado de paciente após três sessões

Médico mostra resultado de paciente após três sessões

Conforme o médico José Rosa, no máximo três sessões são suficientes para acabar com as varizes. O retorno do paciente deve ocorrer entre 9 e 120 dias. Cada sessão dura, em média, de 30 a 40 minutos. Atualmente, são atendidos cerca de 200 pacientes, que primeiro passaram por uma palestra para saber como será o procedimento e os cuidados que devem ter. Após essa fase, é feita a triagem e em seguida iniciado o procedimento num aparelho de ultrassonografia de última geração.

Dados do Ministério da Saúde apontam que 45% das mulheres e 30% dos homens sofrem com este problema; pelo menos 90 mil atendimentos de pacientes com varizes foram feitos pelo SUS em 2016 em todo o País utilizando a nova técnica.

Os procedimentos são feitos com o apoio da equipe de Setor de Diagnóstico do Hospital de Base, formada por Roberto Dinamite, chefe do setor; Ana Cláudia, enfermeira; e Damiane Delgado, técnica de enfermagem.

Leia mais:
Cirurgias eletivas ganham novo reforço de quase R$ 3 milhões na rede estadual em Rondônia
Hospital de Base programa quatro cirurgias bariátricas semanais em Porto Velho para reduzir fila até 2018


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Zacarias Pena Verde
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Governo, Rondônia, Saúde


Compartilhe