Governo de Rondônia
Segunda, 01 de março de 2021

PESQUISA

Transmissão de dados por fibra ótica usará fios do sistema elétrico para interligar Rondônia a outros centros

31 de maio de 2017 | Governo do Estado de Rondônia

francisco-elder-12

Presidente Francisco Elder disse que em um mês foi adiantado o que demorava dois anos

A transmissão de dados por fibra ótica usará os fios do sistema elétrico para interligar Porto Velho e o interior de Rondônia a outros centros produtores de pesquisas científicas nacionais.

“Em um mês, adiantamos aqui e em Brasília o que demorava dois anos para dar certo”, destacou o  presidente da Fundação de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa em Rondônia Francisco Elder.

A colaboração a distância é feita pela Rede Ipê, conectando 1,3 mil campi de organizações usuárias “em alta capacidade”.

O presidente exemplificou: “mesmo atuando em instituições diferentes, o pesquisador que estuda uma planta medicinal em Rondônia poderá obter a colaboração de outros, no Rio de Janeiro ou em São Paulo, dedicados a outros projetos com a mesma planta”.

Elder lembrou que o atual estágio de evolução da rede em Rondônia é fruto de negociações com a Fapero, Eletrobras Distribuição Rondônia, Universidade Federal de Rondônia (Unir) e o Instituto Federal de Rondônia (Ifro).

“Em fevereiro de 2015 começava a vigorar o acordo de cooperação entre a RNP, Eletrobras e Unir para a utilização de pontos de fixação em postes na faixa de ocupação destinada a terceiros, na rede de distribuição de energia elétrica e de sua propriedade, em Porto Velho”, informou.

Um dos frutos desse acordo em Rondônia será o funcionamento da Redecomep (Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa), que interligará redes comunitárias metropolitanas em todo o País, visando melhorar a qualidade de interconexão entre instituições de educação e pesquisa e órgãos governamentais, a custo reduzido.

A fase 1 da RedeComep custou R$ 40 milhões, tem 305 instituições consorciadas, 63 parceiras, 27 redes e cobre 1.650 quilômetros. A fase 2 tem 103 consorciadas, 13 redes, 330 quilômetros de cobertura e custou R$ 10 milhões.

CONECTIVIDADE

Programa Interministerial denominado Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) tem autorização e licença da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), por prazo indeterminado, para fazer avançar a internet.

Em 24 novembro de 1999, a Resolução conjunta nº 001 da Agência Nacional de Energia Elétrica, Anatel e Agência Nacional do Petróleo dispôs sobre o compartilhamento de infraestrutura entre os respectivos setores.

Para o presidente da Fapero, os dividendos para Rondônia serão ainda maiores, pois serão possíveis ações conjuntas para a criação de redes de alta capacidade e conectividade à RNP. Isso será feito pelo Programa Veredas Novas nos Estados, uma parceria entre o Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa.

Com data de 19 de maio de 2017, o memorando de entendimentos entre a RNP, Fapero, Eletrobras, Unir e Ifro foi assinado pelo governador Confúcio Moura, presidente da Fapero Francisco Elder, presidente da Eletrobras-RO Luiz Marcelo Reis de Carvalho e o diretor geral da RNP Nelson Simões da Silva.

Leia mais:
Governo busca apoio do Ministério das Comunicações para integrar municípios com cabos de fibra ótica
Assinado termo de cooperação para melhorar tecnologia de informação

 


Leia Mais
Todas as Notícias

Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Ésio Mendes e Tech Tudo
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Rondônia, Tecnologia


Compartilhe