Governo de Rondônia
Sexta, 22 de março de 2019

SEGURANÇA ALIMENTAR

Embaixador do Quênia visita Rondônia e afirma que estado pode ajudar a mitigar fome na África

14 de junho de 2018 | Governo do Estado de Rondônia

O embaixador Isaac Oshink disse ter ficado impressionado com a produção agrícola de Rondônia e propôs que o estado ofereça pacote tecnológico para desenvolver o Quênia

O jovem Estado de Rondônia impressiona pelo seu desenvolvimento, pela capacidade que tem demostrado ao atravessar uma das piores crises econômicas do País com estabilidade financeira e pela força do agronegócio. Qualidades que despertaram o interesse do embaixador do Quênia, Isaac Oshink, em conhecer Rondônia. Ele esteve na tarde desta quinta-feira (14) reunido com os principais secretários de estado, no Palácio Rio Madeira, em Porto Velho.

‘‘Desde que os embaixadores da África foram convidados pelo governo a conhecer Rondônia, há uns dois anos, comecei a pesquisar. Sabia que tinha alguma coisa nesta tal de Rondônia que precisava conhecer, e agora eu sei: vocês podem ajudar a mitigar a fome na África. Rondônia é uma importante ferramenta de desenvolvimento do Brasil, mas não precisa ficar restrito ao Brasil ou aos países vizinhos. Vamos trazer Rondônia para dentro da África’’, disse o embaixador.

Garantir a segurança alimentar de seu povo é a principal preocupação do embaixador nos negócios com Rondônia. Em contrapartida, Rondônia é um dos mais pulsantes estados produtores de alimentos do Brasil, sendo o principal produtor de peixe de água doce em cativeiro, tendo o sétimo maior rebanho bovino do País e avança na produção de grãos como arroz, soja e milho.

O secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), Pedro Antônio Pimentel, disse que o orçamento de Rondônia chega a quase R$ 8 bilhões. ‘‘O crescimento de Rondônia é espetacular’’, considera. ‘‘E 60% dele é proveniente do setor produtivo’’, completou o secretário de Finanças, Franco Ono. Os dados detalhados do agronegócio de Rondônia foram apresentados ao embaixador, pelo secretário da Agricultura, José Paulo Gonçales.

De acordo com o levantamento de 2017, Rondônia produziu mais de 860 mil toneladas de soja, e a projeção é que chegue a um milhão neste ano; a pecuária já chega a 14.091.378 cabeças de gado, sendo mais de dez mil de corte, e chegou à marca de mais de 94 mil toneladas de peixe, enquanto que a produção de milho foi de 933.957 mil toneladas. E foi este último dado que mais chamou a atenção do embaixador.

O que tem justificativa. No Quênia, o milho é como se fosse o feijão e arroz do Brasil. Ele é transformado em um tipo de polenta que serve de base à alimentação para ser consumida acompanhada da carne ou do frango, por exemplo. Segundo o embaixador, são consumidas 430 mil toneladas de milho por ano no País. Impressionado com a produção de milho em Rondônia, ele quis saber como o estado chegou a este número.

O embaixador participou de reunião com secretários de estado sobre a evolução econômico de Rondônia

O secretário explicou que três fatores foram essenciais: solo, clima e, principalmente, as variedades de milho adaptadas a cada região do estado desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O milho é plantado no período de chuva, e na entressafra da soja, ou seja, a mesma área que se planta soja também é utilizada para o plantio de milho. Além disso, 90% da produção é mecanizada. Mas aqui, ao contrário do Quênia, o milho é utilizado principalmente na composição de ração para aves, peixes e para o gado de corte.

‘‘Queremos ter um relacionamento cooperativo com Rondônia para sustentar meu povo e podemos começar com o milho’’, disse o embaixador. Ele ainda propôs que Rondônia forneça um pacote tecnológico para o desenvolvimento do setor agrícola no Quênia para que seja a porta de entrada dos produtos de Rondônia para a região onde o País está localizado. ‘‘São 400 milhões de consumidores, praticamente dois brasis’’, provocou o embaixador.

‘‘Temos o interesse de fazer esse intercâmbio, o que vai aquecer a economia de Rondônia. E se houver interesse de empresários para se instalar aqui, nós temos um programa de incentivo tributário para deixar os produtos mais competitivos no mercado externo’’, disse o secretário de Finanças, Franco Ono.

A reunião de recepção do embaixador teve como anfitrião o secretário-chefe da Casa Civil, Eurípedes Miranda, que representou o governador de Rondônia, Daniel Pereira. A apresentação dos dados do desenvolvimento econômico de Rondônia durou cerca de duas horas, a maior parte do tempo o embaixador não continha a surpresa de encontrar o estado em uma situação tão positiva e com tantas possibilidades de negócios.

‘‘Digam ao governador que estou tão contente que não queria que essa reunião terminasse, e que fui muito bem recebido por esta equipe que passou as informações com clareza e simplicidade. Agradeço pela receptividade que sempre tiveram com a África, e agora com o Quênia’’, disse o embaixador.

Também participaram da reunião o primeiro secretário da embaixada do Quênia, Stanley Kimany; o representante de Desenvolvimento de Negócios da AfroChamber, Ricardo Latkani; diretor executivo da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), Antônio Geraldo;  presidente da Agência de Defesa Agrossilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Anselmo de Jesus; o chefe da Casa Militar,tenente coronel Júlio Martins Figueroa Faria; o secretário de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Hamilton Santiago; o superintendente de Estado para Resultados (EpR), Ricardo Favaro Andrade; o vice- diretor presidente da Emater, Francisco de Assis Sobrinho; e o sub-chefe da Casa Civil, Helder Risler de Oliveira.

Leia Mais.

Dois Africanos apresentam principais sucessos musicais durante 7º Rondônia Rural Show em homenagem ao Dia da África

Governo de Rondônia promove Rondônia Rural Show na África

 


Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Frank Néry
Secom - Governo de Rondônia

Categorias
Agricultura, Agropecuária, Brasil, Economia, Governo, Municípios, Rondônia


Compartilhe


Twitter
Facebook
Youtube